Enviando email...
Voltar

Apucarana

A região onde localiza-se Apucarana foi colonizada pela Companhia Inglesa de Terras Norte do Paraná, a exemplo de Londrina e Maringá.

Os colonizadores teriam chegado por volta de 1930. No ano de 1938, Apucarana foi elevada à categoria de vila. Em 28 de janeiro de 1944, Apucarana foi elevada a município, sendo seu primeiro prefeito o coronel Luís José dos Santos.

Em função do sucesso econômico dos anos 40 a 70, obtido graças aos ciclos madeireiro, cafeeiro e da atividade comercial cerealista, a cidade rapidamente se tornou um centro comercial dinâmico, referência de serviços e comércio de bens de todo o vale do Ivaí (na época uma próspera região agrícola) e dotada de uma ampla rede bancária. A base econômica do desbravamento foi a atividade madeireira, que representou o berço da atividade industrial da cidade e abriu espaço para a agricultura. Como a vegetação nativa era formada por mata atlântica, rica em madeiras nobres como araucária, peroba, jacarandá, dezenas de serrarias, na época movidas a vapor, instalaram-se na cidade e com isso a migração de profissionais de outros estados da nação acentuou-se. Daí notamos a presença de imigrantes paulistas, mineiros, baianos e até mesmo alemães, japoneses, ucranianos, poloneses e portugueses, entre outros.

Área:558,388Km²
População:120.133hab. est. IBGE/2008
Altitude média840 metros
Clima:suntropiacal Cfa
Densidade:210,0 hab./Km²


Agricultura

Café:

Mesmo com o declínio após a ciclo de geadas de 60 e 70, o café ainda é um importante produto agrícola da região, sendo ainda o que mais gera renda na atividade agrícola do município.

Soja, feijão e milho:

Com uma área menos expressiva que em outros municípios, que fosse adequada para o plantio, mesmo assim a soja ocupa um lugar de destaque na agricultura, sendo apenas lentamente superada pelo milho em anos recentes. O feijão, por ser cultura de rápido desenvolvimento, é plantado em alternancia com as demais culturas.

Industria

Cidade de destaque nacional como pólo na área de brindes, principalmente na fabricação de bonés, que gera milhares de empregos. Centro de Produção e Industrialização de derivados de milho que abastece diversas cidades do país. Centro de industrialização de couro que gera milhares de empregos, diretos e indiretos e têm seus produtos exportados para diversos países, responsável pela quase totalidade da exportação desse produto pelo Paraná e por 3% do total brasileiro.

Boné

Sendo o destaque da economia do município, o boné, é responsável pela geração de cerca de seis mil empregos diretos e 4 mil empregos indiretos. Com uma produção de aproximadamente 2 milhões de bonés por mês a cidade é responsável por 80% da produção nacional, consolidando-se como a capital nacional do boné.